Fotografo faz fotografias únicas na zona de exclusão nuclear de Chernobyl

Um fotografo Russo entrou na zona de exclusão nuclear de Chernobyl e tirou fotografias excelentes que, tanto provam a destruição que aquela explosão nuclear causou, como mostram também a natureza está a recuperar

Um fotografo Russo entrou na zona de exclusão nuclear de Chernobyl e tirou fotografias excelentes que, tanto provam a destruição que aquela explosão nuclear causou, como mostram também a natureza está a recuperar

Chernobyl está na na boca do mundo muito por causa da nova série HBO, com o mesmo nome, Chernobyl - para quem ainda não viu a série, recomendamos que o façam, está fenomenal!

Como sabem, a 26 de abril de 1986 ocorreu uma explosão num reator da usina nuclear de Chernobyl o que desencadeou um dos maiores desastres radioativos da história da humanidade. 

Foram vários os efeitos derivados desta explosão que transportou radioatividade por toda a região e arredores. O solo e o ar ficaram completamente contaminados. Ocorreram mutações e defeitos de nascença em humanos e animais. 

Hoje, 33 anos depois, Chernobyl é uma atração turística para muitos turistas que procuram férias alternativas - o chamado dark tourism

Vladimir Migutin é um fotógrafo que, com uma câmera infravermelha , resolveu fotografar mesmo na área restrita, seguindo obviamente normas rígidas de segurança.

Segundo relatos deste, vagueando pelo local, não sentiu uma atmosfera melancólica. Sentiu se numa espécie de paraíso, num planeta diferente.

Todas as fotos seguintes, são da autoria de Vladimir Migutin


Uma raposa que se aproxima dos visitantes

 


Placas com nomes das aldeias evacuadas após a tragédia


A cobertura de betão criada para tapar o local onde estava o reator que explodiu e evitar assim maior propagação de matéria radioativa


Uma piscina, obviamente desativada


Um ginásio deteriorado pela ação do tempo


Borboletas e plantas 

Indicam uma recuperação ecológica do local


Uma roda gigante de um parque de diversões


Uma sala de aulas


Vista da cidade fantasma de Pripyat


Ainda há muito trabalho da Natureza por ser feito nesta zona fantasma afetada pela radiação, ainda assim, começam a ser visíveis os sinais de recuperação da fauna e flora. 

Apesar de ainda não ser seguro para humanos estar na zona afetada, talvez com o tempo as coisas melhorem